Arquivo mensal: dezembro 2010

Farmacêutico? @Efeito Colateral #3rd

Padrão

Salve, salve, leitores do Blog!

Enfim chega o fim-de-ano, as festas, o fim do semestre, a época dos presentes, pedidos e desejos – e geralmente essa é a parte mais esperada, não? Entrando nesse clima de reflexão de fim-de-ano, resolvi trazer á tona uma questão que levantamos na última SAEF: afinal, o que a sociedade espera e já esperou de nós como futuros, ou atuais, farmacêuticos?

Muitos já falaram sobre isso – não foi só na última Semana Acadêmica que essa questão foi levantada, ela é histórica. Já no ano de 1997, a Organização Mundial da Saúde, divulgou uma documentação sobre qualidades gerais que o farmacêutico deve possuir (The role of the pharmacist in the health care system), e foram estas sete qualidades que derão origem a expressão “farmacêutico sete estrelas”. As características mencionadas nesse documento são: ser prestador de serviços farmacêuticos em uma equipe de saúde; ser capaz de tomar decisões; ser comunicador; ser líder; ser gerente; estar atualizado permanentemente; e ser educador.

Será que estamos realmente direcionados a desenvolver estas qualidades esperadas? É uma questão que devemos levar em conta, porque a despeito de estarem sendo ou não desenvolvidas, elas são necessárias:  é ponto-comum debatermos sobre a necessidade mundial de pessoas e profissionais que façam a diferença, tentando responder as inúmeras questões e problemas ainda existentes em nosso mundo.

Contudo, a OMS é responsável por delinear as necessidades quanto á diversas profissões da área da saúde, e isso pode parecer um tanto “comum”. Nas próximas edições, veremos que essa questão não foi só levantada pela própria área da saúde.

Por fim, não poderia deixar de proveitar o espaço para desejar á todos um ótimo fim-de-ano e um 2011 melhor ainda! Boas festas, e se possível, desejo que decidam tomar uma decisão nesse ano que vem chegando: serem felizes, porque atrás do resto poderemos correr. Tenho certeza!

Anúncios

PACote: poesia, arte, cultura e etc. #2

Padrão

Buenas!

Para o útimo PACote do ano: poesia (e das boas).

Um conselho: é bom levar ao pé da letra.

Muita festa e alegria para todos!

Divirtam-se com aquela música brega de parente bêbado “adeus ano velho, feliz ano novo…” e aproveitem para filmar a cena!

Ainda bem que Drummond nunca vai ser brega.

Beijaços, Morena.

 

Receita de ano novo – Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Embalos de Sexta à Noite #2

Padrão

Saudações!

E o semestre acabou! Sim, aleluia irmãos! Finalmente teremos um pouco de merecido descanso. Começamos esta época mágica com as festas de final de ano: Natal e Ano Novo. Por isso, a “Embalos de Sexta à Noite” de hoje será especial em homenagem aos grandes clássicos natalinos.  Vamos passar por sucessos como: “Noite Feliz”, “Então é Natal” e “Bate o Sino”! Yei!

NOT!

Pode ficar tranquilo que não vou fazer isso. Já basta escutar o CD da Simone 12x seguidas hoje à noite. Ao invés disso, farei uma celebração ao Verão. Estação maravilhosa que nos remete às saudosas férias escolares, à praia com os amigos e à cerveja bem gelada depois daquele dia de calor insuportável.

Para tanto, devo escolher um artista que tenha a cara da estação. E nada combina tanto com o verão quanto o nosso amigo Robert Nesta Marley, o bom e velho Bob Marley.

Bob nasceu na Jamaica, em 1945, filho de um capitão do exército inglês e de uma jamaicana. Seu pai não foi exatamente um pai exemplar, já que abandonou a mãe de Bob enquanto este não havia nem mesmo nascido. Marley cresceu numa favela de Kingston, onde era atormentado pelos outros moradores por ser mulato.

A infância difícil conferiu a Bob Marley uma visão crítica dos problemas enfrentados pelos compatriotas. Desta forma, boa parte do seu trabalho está relacionada com assuntos que envolvem causas sociais.

Sem dúvida, Bob é o maior responsável pela difusão do Reggae e da cultura Rastafari mundo a fora. Responsável, também, pela maioria das músicas que são obrigatórias em todo luau que se preze.

Enfim, vamos curtir um pouco das canções de um dos ícones do último século. Vejo vocês na semana que vem! Até lá, desejo a todos um ótimo natal e um bom CD da Simone. Vine

 

Gostou das músicas?

-> Is This Love

-> One Love

 

“Vocês riem de mim por eu ser diferente. Eu rio de vocês por serem todos iguais”

– Bob Marley

A história do Captopril @Efeito Colateral

Padrão

Olá pessoal! Antes de mais nada: não, eu não vou falar sobre os efeitos colaterais do Captopril, relaxem. Isso deixarei a cargo da Química Farmacêutica, tendo vocês passado, estarem tentando passar ou ainda não passado por esta disciplina. Hoje falaremos sobre a história deste medicamento que, de certo modo, inovou o arsenal de anti-hipertensivos disponíveis – e, para surpresa de muitos, isso contou com a participação de pesquisadores brasileiros.

Há mais de 30 anos, um cientista inglês, sir John Vane (Prêmio Nobel), e sua equipe, mostraram que a enzima conversora de angiotensina chamada ACE, é responsável pela formação de angiotensina II . Desde essa época, essa enzima passou a ser o alvo da indústria farmacêutica para a obtenção de drogas anti-hipertensivas.  Sir John Vane e sua equipe utilizaram substâncias extraídas do veneno da jararaca para descobrir os primeiros anti-hipertensivos naturais que foram utilizados como modelo pela Squibb (indústria farmacêutica multinacional) para a síntese do Captopril, droga bilionária utilizada como anti-hipertensivo no mundo todo.

O mérito dessa descoberta, que muito contribuiu para entendermos como funciona o nosso sistema cardiovascular, ficou quase todo com os ingleses e americanos. Entretanto, o avanço que a fisiopatologia cardiovascular teve na segunda metade do século passado deve muito a uma escola de cientistas brasileiros criada pelo Prof. Mauricio Rocha e Silva e a utilização do veneno da Bothrops jararaca. A descoberta da bradicinina, em 1949, e dos primeiros anti-hipertensivos naturais, por Sergio Ferreira e Rocha e Silva, na década de 60, foi possível graças à utilização do veneno da jararaca.

Foi Ferreira que, no final da década de 60, levou ao sir John Vane a fração do veneno da jararaca que continha esses anti-hipertensivos (denominados de peptídeos potenciadores da bradicinina ou BPPs), que foram utilizados como modelo para a síntese do Captopril, nome comercial do anti-hipertensivo que tem rendido bilhões de dólares para as multinacionais farmacêuticas.

Presentão de Natal

Padrão

“No último dia de votação efetiva na Câmara, o plenário aprovou o projeto de aumento de 61,83% nos salários dos próprios parlamentares, de 133,96% no valor do vencimento do presidente da República e de 148,63% no salário do vice-presidente e dos ministros de Estado. O projeto iguala em R$ 26.723,13 os salários dos deputados, dos senadores, do presidente da República, do vice-presidente da República e dos ministros do Executivo. Esse é o mesmo valor do salário do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que serve como teto do funcionalismo público.

Para entrar na pauta, os deputados tiveram de aprovar o regime de urgência para votação.

O placar registrou 279 votos favoráveis, 35 contrários e 3 abstenções.”

Fonte: Estadão.

E é claro que os nossos amigos deputados estaduais não vão ficar para trás:

“Os deputados estaduais apressaram-se em seguir o exemplo de senadores e deputados federais, que aprovaram para si um aumento salarial de 62% na última quarta-feira. Por todo o país, as Assembleias correm para colocar na pauta de votação, antes do recesso de fim de ano, projetos que garantam reajustes aos Legislativos estaduais.

…Para se ter uma ideia, os salários de deputados paulistas passarão de 12.384,37 reais para 20.042,35 reais – o que resultará num gasto extra de 8,3 milhões de reais aos cofres do estado.”

Adaptado de: Veja.com (confira no site o valor real que cada parlamentar custa aos cofres públicos).

Sua opinião é importante!

Padrão

PACote: poesia, arte, cultura e etc. #1

Padrão

Buenas!

Sejam muito bem vindos, leitores, ao primeiro/penúltimo PACote do ano!

Não vou repetir o que os nossos queridos colegas de faculdade e recentes aspirantes a colunistas -como eu aqui- disseram, vocês já sabem que o blog do DAFF mudou. Mas é bom deixar claro que a proposta desse post aqui é trazer um pouquinho de poesia, arte e cultura para (tentar) fazer das segundas-feiras dias mais interessantes!

Quero apresentar pra vocês uma estudante do quinto semestre de Artes Visuais da UFRGS que faz apenas 21 anos dia 24 de dezembro. A Manoela Ribeiro, ou Manu, é daqui de porto alegre e, ao perguntar desde quando ela desenha, a resposta é: “desde sempre”.

O estilo contemporâneo da guria traz nas obras, materiais como nanquim, pastel seco, tinta acrílica, aquarela e até carvão, e as influências mais recentes são dos artistas Gerd Leufert e León Ferrari.

Nas imagens a seguir, mostro um poquinho do trabalho da Manu em desenhos e fotos, que também são uma de suas paixões.

Confiram os outros trabalhos em: Zuinn e Flickr

Até segunda que vem! Morena.