Arquivo mensal: abril 2011

PACote: poesia, arte, cultura e etc #6

Padrão

Florbela Espanca, (8 de Dezembro de 1894 – 8 de Dezembro de 1930), batizada com o nome Flor Bela Lobo, foi uma poetisa portuguesa. Sua vida de trinta e seis anos foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, melancolia, feminilidade e panteísmo.

Leia mais em: Wikipédia

“A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que é diferente.”

 Sem remédio

Aqueles que me têm muito amor
Não sabem o que sinto e o que sou…
Não sabem que passou, um dia, a Dor
À minha porta e, nesse dia, entrou.

E é desde então que eu sinto este pavor,
Este frio que anda em mim, e que gelou
O que de bom me deu Nosso Senhor!
Se eu nem sei por onde ando e onde vou!!

Sinto os passos da Dor, essa cadência
Que é já tortura infinda, que é demência!
Que é já vontade doida de gritar!

E é sempre a mesma mágoa, o mesmo tédio.
A mesma angústia funda, sem remédio,
Andando atrás de mim, sem me largar!

Anúncios

Embalos de Sexta à Noite #5

Padrão

Olá amiguinho! A “Embalos de Sexta à Noite” segue seu mês temático aqui no blogdodaff. A segunda banda de rock dos anos 2000 será uma das minhas preferidas: Arctic Monkeys!

Os macacos do ártico são uma banda inglesa formada em 2002. Antes disso, a banda já existia com o nome de Bang Bang, contando com Glyn Jones no vocal e Alex Turner na guitarra. A saída de Jones para entrada de Turner nos vocais foi o marco de criação dos Arctic Monkeys.

Menos de um ano depois, os integrantes criaram CDs para distribuir ao público que frequentava os shows da banda. Como a tiragem dos CDs foi pequena e o número de entusiastas do grupo aumentava, as músicas da banda acabaram caindo na internet (sem o conhecimento os integrantes) para facilitar a difusão do som entre os fãs.

Quando a banda fechou contrato com a Domino Records para gravar seu primeiro álbum de estúdio, a Arctic Monkeys já era conhecida em todo Reino Unido e possuía uma legião de fãs. Tudo efeito da divulgação viral via internet. A ansiedade dos fãs era tanta que quando “Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not“ foi lançado, o álbum alcançou imediatamente o primeiro lugar das paradas inglesas. As vendas do primeiro dia foram tão impressionantes que superaram a venda somada de todos os outros álbuns do TOP20 britânico.

Hoje, os Arctic Monkeys contam com 3 álbuns de estúdio: “Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not“, “Favourite Worst Nightmare” e “Humbug”. O quarto trabalho da banda – “Suck It and See – será lançado em seis de Junho deste ano. O primeiro single do novo CD já possui até videoclipe no Youtube.

Enfim, That’s All Folks! Vejo vocês na próxima sexta. Vine


ANVISA e os antibióticos

Padrão

Está suspenso pela Diretoria da Anvisa o prazo que terminaria no próximo dia 25 de abril para que as farmácias  passassem a registrar a venda de antibióticos no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados, o SNGPC.

A decisão foi tomada durante a reunião pública da Diretoria Colegiada da Agência nesta terça-feira (12/4), que teve início às 14h43, no auditório da Anvisa em Brasília. O encontro contou com a presença do público no auditório da Agência e também foi transmitido em tempo real pela internet.

O prazo para que as farmácias aderissem ao SNGPC, sistema informatizado desenvolvido e gerenciado pela Anvisa, constava da norma que modificou as regras para vendas de antibiótico, em outubro passado, a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 44/2010.

Inicialmente a pauta da reunião pública da Diretoria da Anvisa previa a apreciação de algumas mudanças propostas para a norma. Mas os diretores optaram por solucionar a questão mais urgente, o prazo, e prorrogar a discussão dos ajustes para a próxima reunião.

FONTE: ANVISA

PACote: poesia, arte, cultura e etc #5

Padrão

O festival El Mapa de Todos – Música, Integração & Cultura Digital já tem data e local para acontecer: 12, 13 e 14 de abril, em Porto Alegre, no Opinião. Um festival que promete trazer a diversidade cultural maravilhosa que a América do Sul tem!

O evento reunirá artistas de diversos países e contará com um seminário sobre temas como circulação regional, capacitação profissional para a integração, a questão da língua e mídias digitais. El Mapa de Todos é um projeto voltado para a integração iberoamericana nos segmentos de música e cultura digital.

“A América do Sul, em especial, vive novos tempos de integração, depois de décadas de divisão e isolamento cultural, do que é exemplo o Mercosul, que favorece novas ações em todos os campos da vida na região”, destaca Fernando Rosa, da produtora Senhor F, do Brasil. “É nesse ambiente que o Festival El Mapa de Todos se insere, buscando contribuir para o processo no campo da cultura, particularmente a música, e da cultura digital”, afirma Sylvie Piccolotto da produtora Scatter Records, da Argentina.

Esta edição contará com bandas como Gepe (Chile), Frank Jorge & Banda (Brasil), Los Mentas (Venezuela) e Wander Wildner (Brasil). O evento contribuiu para ampliar o contato entre as culturas independentes dos diversos países que, no Brasil, conta com o estímulo do Ministério da Cultura e da ABRAFIN (Associação Brasileira de Festivais Independentes). Com seu objetivo de superar as fronteiras culturais e musicais, o festival El Mapa de Todos também constitui-se uma vitrine para divulgação de artistas dos países da região.

O festival é uma iniciativa das produtoras Senhor F, do Brasil, e Scatter Records, da Argentina, com patrocínio da Petrobras e apoio da Força Sindical – RS. O festival também conta com apoio da Secretaria Estadual de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul e do Ministério da Cultura do Brasil. Fernando Rosa, Sylvie Piccolotto e Pablo Hierro respondem pela curadoria e coordenação geral e a produção executiva é de Brisa Daitx. O festival também conta com apoio do Ministério da Cultura do Brasil, por meio da Lei Rouanet.

FESTIVAL EL MAPA DE TODOS
Onde:   Opinião (R. José do Patrocínio, 834)
Quando: 12 a 14 de abril, terça a quinta-feira, a partir das 20h30
12/04:
– Reino Elétron (Brasil/RS – Pampastock)
– Arthur de Faria e seu Conjunto (Brasil)
– Gepe (Chile)
– Xoel Lopes & Pablo Dacal & Franny Glass (Espanha – Argentina – Uruguai)
– Frank Jorge & Banda (Brasil)
13/04:
– Sociedade Bico de Luz (Brasil)
– Contra Las Cuerdas (Uruguay)
– Do Amor (Brasil)
– Los Mentas ( Venezuela)
– Wander Wildner (Brasil)
14/04:
– Watson (Brasil)
– Superguidis (Brasil)
– Los Negretes (Mexico)
– El Mato a Un Policia Motorizado (Argentina)
– Macaco Bong (Brasil)
Ingressos:
Por dia: R$10
Passaporte para os três dias: R$25
Pontos de Venda:
Lojas Trópico: Shoppings Iguatemi, Praia de Belas, Moinhos, Total, BarraShopping Sul, Bourbon Ipiranga, Canoas Shopping e Bourbon São Leopoldo.
Informações:
http://www.opiniao.com.br
(51) 8401-0104

IMPERDÍVEL!
Morena

Fonte: Porto Cultura e ElMapadeTodos.com.br

Dia Mundial da Saúde 2011

Padrão

Hoje, dia sete de abril, é comemorado o Dia Mundial da Saúde. A organização Mundial da Saúde (OMS) usa este dia para celebrar sua fundação e alertar sobre os principais problemas de saúde que podem atingir uma população. Esta iniciativa visa conscientizar as pessoas, sejam profissionais de saúde ou não, para que haja um encorajamento para a promoção de ações que estejam ligadas com a melhoria da qualidade de vida e bem-estar de todos.

A fim de fazer um trabalho preventivo e garantir a saúde das pessoas, informações sobre higiene, doenças, lixões, saneamento básico e até sobre campanhas de vacinação, precisam chegar à população.

A cada ano a OMS elege um tema para celebrar este dia. Neste ano será abordada a questão da resistência aos antimicrobianos. Hoje, devido à descoberta de medicamentos antimicrobianos potentes e eficazes para o tratamento de doenças infecciosas, a maioria de nós vive mais e com menos doenças. No entanto, estamos a ponto de perder este arsenal terapêutico precioso. O uso e o abuso dos antimicrobianos na medicina humana e animal, durante os últimos 70 anos, aumentou o número e os tipos de microrganismos resistentes a estes medicamentos, causando mortes, sofrimento e incapacidades, além do aumento do custo da atenção sanitária. Se não combatermos este fenômeno, muitas doenças infecciosas podem se tornar incontroláveis e os avanços realizados na área de saúde podem se perder.

Agora, será que você saberia responder o que é saúde? E mais, o que é doença? Segundo a OMS, ter saúde é garantir a condição de bem estar das pessoas, envolvendo os aspectos físicos, mentais e sociais das mesmas, em harmonia. No entanto, vivemos um período da história onde o risco e o receio de uma falência orgânica, de um contágio e de uma contaminação são uma constante. Sempre que nos referimos ao corpo, os discursos estão constantemente voltados para os perigos, ou seja, os testemunhos sobre doenças acabam tendo prioridade em relação aos sobre saúde. Portanto, conotar saúde como condição de estado de não-doença ou de ausência de doença, tem sido uma constante, o que revela a dificuldade que os próprios sujeitos encontram para a expressão do seu corpo sentido/pensado.

E você, o que tem feito para promover a sua saúde e a da comunidade? Como futuro profissional de saúde, você deve ter o compromisso com essa questão. E como farmacêutico, deve assumir a responsabilidade na promoção do uso racional de medicamentos.

 


Referências:
  1. Folder informativo OMS/OPAS/ANVISA. Disponível em http://www.who.int/world-health-day/2011. Acessado em 06/03/2011.
  2. CHAMÉ, S.J. Intervenção sanitária na saúde e doença: O avanço das discussões in CANESQUI, A.M. Ciências sociais e saúde para o ensino médico, São Paulo: Hucitec/Fapesp, 2000.

Nouvelle Vague no CineBancários

Padrão

Desde o dia 1º de Abril, está em cartaz no Cinema do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região a mostra 1959 – O Ano Mágico do Cinema Francês. No ciclo, estão sendo apresentados filmes franceses da década de 50 de grandes nomes do movimento Nouvelle Vague, como GodardFrançois Truffaut. O longa “Os Incompreendidos”, de Truffaut, é considerado o filme que apresentou a Nouvelle Vague ao mundo. Os filmes, que transgrediram completamente as regras do cinema comercial da época, são marcados pela juventude de seus autores. Está sendo apresentado também um título do diretor Robert Bresson que, apesar de não fazer parte do movimento da “nova onda”, o influenciou. A sala se encontra no prédio do Sindicato, Rua General Câmara – 424, e as sessões têm entrada franca. Mais informações podem ser encontradas no blog do CineBancários ou pelo telefone (51) 3433.1204.

Retirado de: alunoufrgs.blogspot.com