Arquivo da categoria: PACote – Poesia, Arte e Cultura

Arte em geral! Suas segundas-feiras muito mais interessantes.

PACote: poesia, arte, cultura e etc #6

Padrão

Florbela Espanca, (8 de Dezembro de 1894 – 8 de Dezembro de 1930), batizada com o nome Flor Bela Lobo, foi uma poetisa portuguesa. Sua vida de trinta e seis anos foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, melancolia, feminilidade e panteísmo.

Leia mais em: Wikipédia

“A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que é diferente.”

 Sem remédio

Aqueles que me têm muito amor
Não sabem o que sinto e o que sou…
Não sabem que passou, um dia, a Dor
À minha porta e, nesse dia, entrou.

E é desde então que eu sinto este pavor,
Este frio que anda em mim, e que gelou
O que de bom me deu Nosso Senhor!
Se eu nem sei por onde ando e onde vou!!

Sinto os passos da Dor, essa cadência
Que é já tortura infinda, que é demência!
Que é já vontade doida de gritar!

E é sempre a mesma mágoa, o mesmo tédio.
A mesma angústia funda, sem remédio,
Andando atrás de mim, sem me largar!

Anúncios

PACote: poesia, arte, cultura e etc #5

Padrão

O festival El Mapa de Todos – Música, Integração & Cultura Digital já tem data e local para acontecer: 12, 13 e 14 de abril, em Porto Alegre, no Opinião. Um festival que promete trazer a diversidade cultural maravilhosa que a América do Sul tem!

O evento reunirá artistas de diversos países e contará com um seminário sobre temas como circulação regional, capacitação profissional para a integração, a questão da língua e mídias digitais. El Mapa de Todos é um projeto voltado para a integração iberoamericana nos segmentos de música e cultura digital.

“A América do Sul, em especial, vive novos tempos de integração, depois de décadas de divisão e isolamento cultural, do que é exemplo o Mercosul, que favorece novas ações em todos os campos da vida na região”, destaca Fernando Rosa, da produtora Senhor F, do Brasil. “É nesse ambiente que o Festival El Mapa de Todos se insere, buscando contribuir para o processo no campo da cultura, particularmente a música, e da cultura digital”, afirma Sylvie Piccolotto da produtora Scatter Records, da Argentina.

Esta edição contará com bandas como Gepe (Chile), Frank Jorge & Banda (Brasil), Los Mentas (Venezuela) e Wander Wildner (Brasil). O evento contribuiu para ampliar o contato entre as culturas independentes dos diversos países que, no Brasil, conta com o estímulo do Ministério da Cultura e da ABRAFIN (Associação Brasileira de Festivais Independentes). Com seu objetivo de superar as fronteiras culturais e musicais, o festival El Mapa de Todos também constitui-se uma vitrine para divulgação de artistas dos países da região.

O festival é uma iniciativa das produtoras Senhor F, do Brasil, e Scatter Records, da Argentina, com patrocínio da Petrobras e apoio da Força Sindical – RS. O festival também conta com apoio da Secretaria Estadual de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul e do Ministério da Cultura do Brasil. Fernando Rosa, Sylvie Piccolotto e Pablo Hierro respondem pela curadoria e coordenação geral e a produção executiva é de Brisa Daitx. O festival também conta com apoio do Ministério da Cultura do Brasil, por meio da Lei Rouanet.

FESTIVAL EL MAPA DE TODOS
Onde:   Opinião (R. José do Patrocínio, 834)
Quando: 12 a 14 de abril, terça a quinta-feira, a partir das 20h30
12/04:
– Reino Elétron (Brasil/RS – Pampastock)
– Arthur de Faria e seu Conjunto (Brasil)
– Gepe (Chile)
– Xoel Lopes & Pablo Dacal & Franny Glass (Espanha – Argentina – Uruguai)
– Frank Jorge & Banda (Brasil)
13/04:
– Sociedade Bico de Luz (Brasil)
– Contra Las Cuerdas (Uruguay)
– Do Amor (Brasil)
– Los Mentas ( Venezuela)
– Wander Wildner (Brasil)
14/04:
– Watson (Brasil)
– Superguidis (Brasil)
– Los Negretes (Mexico)
– El Mato a Un Policia Motorizado (Argentina)
– Macaco Bong (Brasil)
Ingressos:
Por dia: R$10
Passaporte para os três dias: R$25
Pontos de Venda:
Lojas Trópico: Shoppings Iguatemi, Praia de Belas, Moinhos, Total, BarraShopping Sul, Bourbon Ipiranga, Canoas Shopping e Bourbon São Leopoldo.
Informações:
http://www.opiniao.com.br
(51) 8401-0104

IMPERDÍVEL!
Morena

Fonte: Porto Cultura e ElMapadeTodos.com.br

PACote: poesia, arte, cultura e etc #4

Padrão

Para quem sobrar um tempinho de lazer num sábado ensolarado (o tempo há de melhorar) ou em um domingo chuvoso; para aqueles afortunados que tem tempo livre durante a semana e, principalmente, para quem nunca foi na mais recente obra arquitetônica/artística e ponto turístico de PoA, visite a Fundação Iberê Camargo e descubra o trabalho da gaúcha e talentosa Regina Silveira.

Lembrem-se: tempo gasto em arte é tempo bem aproveitado!

Sobre a artista:

Nascida na capital no ano de 1939, Regina Silveira iniciou sua formação em Porto Alegre, principalmente em pintura e gravura, com importantes artistas, entre eles, Iberê Camargo.

Nos anos 1970, inicia trabalhos com malhas e perspectivas, através da série Labirintos. Ainda neste período torna-se importante artista multimídia e pioneira da vídeo-arte no país.

Além do trabalho artístico, vale destacar que, durante muitos anos, foi professora na ECA – Escola de Comunicação e Artes da USP (Universidade de São Paulo), onde ajudou a formar gerações de importantes artistas nacionais.

Fonte: wikipedia

Sobre a exposição:

A primeira exposição do calendário de 2011 da Fundação Iberê Camargo é Mil e um dias e outros enigmas, que reúne 29 obras da artista Regina Silveira, uma das mais importantes do cenário contemporâneo brasileiro. São desenhos, fotografias, instalações, objetos e projeções criados a partir de 1983 – e alguns deles especialmente para a mostra em Porto Alegre. Os trabalhos foram selecionados pelo colombiano José Roca, que em 2009, ao lado de Alejandro Martín, realizou a curadoria de outra retrospectiva da artista, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro.

Para a exposição na Fundação, ela criou um trabalho adaptado de uma série de projetos anteriores. Atractor consiste na projeção da palavra luz sobre a fachada externa do edifício. As letras serão formadas sobre um revestimento de vinil, misturando-se a reflexos da paisagem e do próprio prédio. Trata-se de uma obra bastante emblemática, pois os jogos de contraste entre sombra e iluminação, bem como as distorções na geração de imagens, são temas centrais na obra da gaúcha.

O diálogo com as obras de Iberê não é despropositado. Regina foi sua aluna durante a década de 1960, e, embora a produção da artista se relacione mais diretamente com a herança estética de nomes como o do italiano Giorgio De Chirico e o do francês Marcel Duchamp, ela acredita que esta experiência com o artista gaúcho foi de grande importância para seu processo de formação. “Ele foi meu mestre na verdadeira acepção da palavra, porque junto com a pintura ensinava atitude, concentração, e alto grau de comprometimento com o trabalho. Para mim, que recém havia passado dos 20 anos de idade, ele foi o primeiro exemplo de como vivia um artista totalmente focado no trabalho e dedicado à sua obra”, contextualiza.

Mil e um dias e outros enigmas fica no espaço expositivo da Fundação de 16 de março a 29 de maio, e pode ser visitada de terça a domingo, das 12h às 19h (nas quintas, até às 21h). A Fundação Iberê Camargo fica na Av. Padre Cacique, 2000, e tem entrada franca.

Adaptado de: iberecamargo.org.br

PACote: poesia, arte, cultura e etc #3

Padrão

ELA DESBANCOU JUSTIN BIEBER!

PACote de volta!

E a dica dessa segunda-feira de outono é sobre música.

OUÇAM Esperanza Spalding, a contrabaixista e cantora americana vencedora do Grammy de Artista Revelação desse ano, a guria que desbancou Justin Bieber!

Esperanza canta em inglês, espanhol e português. Tocou acompanhada por grandes nomes do jazz, como Pat Metheny, Joe Lovano, Michel Camilo e Donald Harrinson. Foi mencionada pela revista Down Beat como “a melhor baixista em ascensão”. Compõe e leciona no Berklee College Of Music em Boston, sendo a mais jovem professora da instituição.

Esteve no Brasil em 2006, acompanhada pelo pianista cubano Roberto Fonseca. Também gravou com a cantora e compositora Ana Carolina, na música Traição.

“Em poucas palavras, poderíamos dizer que a biografia de Esperanza Spalding corresponde a uma geração de mulheres jazzistas castas: nunca foi presa por porte de drogas ou armas, não está envolvida com a máfia, não tem um amante que a espanca, não tem cinco filhos, não perdeu uma perna ou ficou cega nem, tampouco, passou qualquer temporada na Casa Correcional para Mulheres do Estado de Alderson. Segue assim uma dinastia que passa pelo piano de Diana Krall e pelo veludo na voz de Norah Jones – embora Madeleine Peyroux costume desaparecer meses e ser vista, maltrapilha, bêbada e sem rumo por algumas em ruas americanas. “

Fonte: obviousmag.orgwikipedia

O talento de Esperanza bateu contra milhares de fãs do bebê Bieber e, com muito merecimento, ganhou o Grammy com estilo!

Então, não façam cerimônia!

Site oficial: http://www.esperanzaspalding.com/

MySpace: http://www.myspace.com/esperanzaspalding

 

PACote: poesia, arte, cultura e etc. #2

Padrão

Buenas!

Para o útimo PACote do ano: poesia (e das boas).

Um conselho: é bom levar ao pé da letra.

Muita festa e alegria para todos!

Divirtam-se com aquela música brega de parente bêbado “adeus ano velho, feliz ano novo…” e aproveitem para filmar a cena!

Ainda bem que Drummond nunca vai ser brega.

Beijaços, Morena.

 

Receita de ano novo – Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

PACote: poesia, arte, cultura e etc. #1

Padrão

Buenas!

Sejam muito bem vindos, leitores, ao primeiro/penúltimo PACote do ano!

Não vou repetir o que os nossos queridos colegas de faculdade e recentes aspirantes a colunistas -como eu aqui- disseram, vocês já sabem que o blog do DAFF mudou. Mas é bom deixar claro que a proposta desse post aqui é trazer um pouquinho de poesia, arte e cultura para (tentar) fazer das segundas-feiras dias mais interessantes!

Quero apresentar pra vocês uma estudante do quinto semestre de Artes Visuais da UFRGS que faz apenas 21 anos dia 24 de dezembro. A Manoela Ribeiro, ou Manu, é daqui de porto alegre e, ao perguntar desde quando ela desenha, a resposta é: “desde sempre”.

O estilo contemporâneo da guria traz nas obras, materiais como nanquim, pastel seco, tinta acrílica, aquarela e até carvão, e as influências mais recentes são dos artistas Gerd Leufert e León Ferrari.

Nas imagens a seguir, mostro um poquinho do trabalho da Manu em desenhos e fotos, que também são uma de suas paixões.

Confiram os outros trabalhos em: Zuinn e Flickr

Até segunda que vem! Morena.